Director: Octávio Soares - Contacto: 00239 9923140 - E-mail:jornaltropical05@hotmail.com / tropical05@hotmail.com - www.jornaltropical.st

 
 
Publicidades
 
 

Transferir STome_logo_cmyk.jpg (1075,9 KB)

PESTANA SÃO TOMÉ
OCEAN & SPA HOTE

Grupo Pestana em São Tomé garante a qualidade dos serviços aos seus clientes  

siga-nos no Facebook

https://www.facebook.com/SaoTomePestana

 

 

Edifício do Ministério de Saúde cujo primeiro nome era “Dispensário Anti-Tuberculoso” Segundo Ministro da Saúde, Edigar Neves

29 Novembro 2019 A história remota a um momento particularmente chocante da vida da nossa população, pois a sua edificação nasce no contexto das obras do “Estado Novo”, regime político caracterizado por uma ditadura fascista em Portugal, que se repercutia de forma gravosa no império colonial português

Sobre este assunto, Edigar Neves , especialista em matéria de saúde  começou por dizer na cerimonia de inauguração do novo edifício do ministério,  na altura, do “Dispensário Anti-Tuberculoso”,  o regime colonial português, confrontado com as pressões internacionais que ganhavam força tendente a descolonização dos territórios  sob dominação colonial, lançou, a partir de 1948, os projectos de construção inseridos nos famosos Planos de Fomento.

Foi nestes contextos que surgiram variam obras de construção civil, que deram um novo figurino a cidade de S. Tome, nomeadamente algumas avenidas e edifícios, entre os quais o “ Dispensário Anti-Tuberculoso”, inaugurado pelas autoridades de então, em 1951. No Jornal “ A Voz de S. Tome”, órgão oficial de propaganda do regime.

Segundo Edgar Neves foi um edifício equipado com aparelhos de radiografias e salas de observação, e teve durante largos anos a finalidade para que haja sido destinado, até que, após a independência do País em 1975 e com a reorganização das estruturas do Ministério da Saúde, o mesmo passou a servir de sede desse ministério, o medico Dr. Carlos Tiny.

Com o passar dos anos, o edifício foi sofrendo os desastres e degradações impostos pelo tempo, e em Fevereiro de 2015, foi vítima de um incêndio que deixou parcialmente inoperante, acidente que voltou a acontecer em Novembro do mesmo ano, que então o deixou totalmente inutilizável.

Decidiram as autoridades da altura proceder a reabilitação deste edifício, de grande valor arquitectónico, que figura como referência na nossa capital, muito por causa de uma abobada central, traça que  o diferencia das outras construções existentes, tendo a enquadra-lo outros edifícios contemporâneos relevantes, como a escola Preparatória Patrice Lumumba, a Delegacia de Saúde de Agua Grande.

O. Soares

 

 

 

   
 
 

 

CERVEJEIRAROSEMA 

 

   

Transferir STome_logo_cmyk.jpg (1075,9 KB)

   

   
     

 

   
 
 
Jornal Tropical | Todo Direito reservado | Av. Marginal 12 de Julho | São Tomé e Príncipe | jornaltropical05@hotmail.com - 00239 9923140