IMG-LOGO
   

            

 

Primeiro português a conquistar medalhas para o atletismo em cadeira de rodas

 

João Correia nos Jogos Paralíticos

 

 

O Comité Paralímpico de Portugal divulgou ontem, em cerimónia em frente à Câmara Municipal de Loures, a convocatória oficial da Missão Portuguesa aos Jogos Paralímpicos Tóquio 2020, que conta na modalidade de atletismo, com a presença do atleta João Correia, primeiro português a conquistar uma medalha internacional para o atletismo em cadeiras de rodas e que irá disputar a prova de 100 metros, na classe T51 (afetação de movimentos nos membros superiores e inferiores). No ano em que completa 20 anos de carreira, João Correia cumpre o sonho de estar presente nos Jogos Paralímpicos, no Japão, de 24 de agosto a 5 de setembro, depois de inúmeras participações em competições nacionais e internacionais, como os campeonatos da Europa de 2003 e 2005, de onde saiu medalhado.

 

“Dia 3 de setembro, ao entrar no estádio olímpico de Tóquio, estarei a realizar o sonho de uma vida, independentemente do resultado que vier a alcançar. Depois de várias lesões me terem tirado de edições anteriores, serei oficialmente um atleta paralímpico!” afirma João Correia. “A todos os que a meu lado estiveram nesta longa caminhada o meu muito obrigado, por, assim como eu, terem acreditado e nunca terem desistido!” concluí o atleta tirsense.

 

João Correia é recordista nacional (com a marca 22,01 segundos), na distância de 100 metros, classe T51, marca alcançada em 2019 e que lhe garantiu a qualificação direta para os Jogos Paralímpicos. No presente ano venceu pela 8ª vez o título de Campeão de Portugal, na mesma distância e parte para Tóquio na 3ª posição do Ranking Mundial (com a marca 22,22 segundos).

 

O atleta nasceu em 1983 e, aos dois anos, sofreu um acidente que o deixou numa cadeira de rodas. Em 1991, começou a praticar atletismo, tornando-se no primeiro atleta português a ganhar uma medalha internacional, na modalidade em cadeira de rodas. Já conta com 20 anos de carreira e 69 participações em provas nacionais e internacionais. Em agosto de 2018, foi alvo de uma delicada cirurgia à cervical, tendo regressado às competições em janeiro de 2019.