IMG-LOGO
   

            

 

 

 

São Tomé/Eleições: PM são-tomense espera que futuro presidente seja o “melhor talhado” para colaborar com Governo

 

 

 

 

 

 

O primeiro-ministro são-tomense desejou que os eleitores elejam, os candidatos às presidenciais, "aquele que está melhor talhado para juntamente com o governo fazer uma equipa colaborativa" para os desafios dos "novos tempos, que serão muito exigentes"

“Naturalmente nós queremos que o povo consiga eleger aquele que está melhor talhado para juntamente com o órgão Governo, Assembleia Nacional, os tribunais, podermos fazer uma grande equipa colaborativa no sentido de juntos mobilizarmos as sinergias e dar respostas a esses novos tempos pós-pandemia que vão ser muito exigentes”, disse Jorge Bom Jesus, depois de exercer o seu direito de voto, na Chácara.

 

O primeiro-ministro disse que o seu Governo vai cumprir a legislatura e executar “o que resta do seu programa de governo”, afirmando esperar que o Presidente que saia destas eleições “seja alguém que corresponda às expectativas deste povo e ajude o governo a resolver os problemas ingentes, desde logo o combate à pobreza, desenvolvimento e crescimento económico”.

 

Bom Jesus afirmou que a Constituição da República dá ao chefe de Estado “margem suficiente” para que ele possa “dar as mãos” ao Governo e juntar as forças e inteligências, porque a missão dos governantes é resolver da população”.

Mais de 123.301 eleitores são chamados  às urnas em São Tomé e Príncipe para escolher o próximo presidente da República.

No total, estão disponíveis 304 mesas, das quais 262 na ilha de São Tomé e na Região Autónoma do Príncipe, que abriram às 07:00 locais (08:00 em Lisboa) e encerram às 17:00 (18:00 em Lisboa).

 

Na diáspora, onde estão registados um total de 14.692 eleitores, há 42 mesas. Portugal conta com o maior número de mesas (15), sendo o país com a maior comunidade recenseada (7.378 eleitores).

 

com lusa