IMG-LOGO
   

            

 

 

 

Marcelo saúda Presidente eleito de São Tomé e tenciona estar na sua tomada de posse

 

 

O Marcelo Rebelo de Sousa saudou Carlos Vila Nova, o Presidente eleito de São Tomé e Príncipe e espera estar presente na sua tomada de posse.

O chefe de Estado português, Marcelo Rebelo de Sousa, saudou esta segunda-feira por telefone o Presidente eleito de São Tomé e Príncipe, Carlos Vila Nova, e indicou que tenciona estar presente na sua posse.

Esta informação consta de uma nota divulgada, esta segunda-feira no sítio oficial da Presidência da República Portuguesa na Internet, segundo a qual Marcelo Rebelo de Sousa “telefonou esta tarde ao novo Presidente eleito da República de São Tomé e Príncipe, Carlos Vila Nova, a quem felicitou pela recente eleição”.

 

O chefe de Estado português transmitiu a Carlos Vila Nova “votos de sucesso, bem como de desenvolvimento e aprofundamento das relações entre Portugal e São Tomé e Príncipe” e “indicou também que tenciona estar presente na cerimónia de posse em São Tomé”, lê-se na mesma nota.

 

Carlos Vila Nova foi eleito Presidente de São Tomé e Príncipe na segunda volta, realizada no domingo, com 45.481 votos, 57,54%, vencendo Guilherme Posser da Costa, que obteve 33.557 votos, 42,46%, de acordo com resultados provisórios hoje divulgados pela Comissão Eleitoral Nacional (CEN).

 

A abstenção foi de 34,68%, superior à da primeira volta, realizada em 18 de julho, que se situou nos 31,6%.

Do total de 123.301 eleitores recenseados no país e na diáspora, votaram 80.535. Destes votos, 79.038 foram considerados válidos e houve 344 votos brancos e 1.153 nulos.

Carlos Vila Nova, antigo ministro de governos liderados por Patrice Trovoada, foi apoiado pelo partido Ação Democrática Independente (ADI, oposição).

 

Antigo primeiro-ministro, Posser da Costa teve inicialmente o apoio do Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe – Partido Social Democrata (MLSTP-PSD), mas na segunda volta recebeu igualmente o suporte dos restantes partidos que compõem a “nova maioria” (Partido Convergência Democrática e coligação UDD/MDFM).

 

Na primeira volta, a que concorreram 19 candidatos, Carlos Vila Nova tinha alcançado 35.342 votos, 43,3%, enquanto Posser da Costa obteve 16.905 votos, teve 20,7%.

 Observador