IMG-LOGO
   

            

 

 

 

Presidente eleito de São Tomé suspende militância de partido da oposição e quer servir a todos

 

"Como sempre defendi durante a minha campanha, passo a ser o Presidente de todos os são-tomenses e estarei aqui para servir a todos", afirmou Carlos Vila Nova

O Presidente eleito de São Tomé e Príncipe, Carlos Vila Nova, anunciou, esta quinta-feira, que suspendeu a sua militância no partido Ação Democrática Independente (ADI, oposição), afirmando que pretende “servir a todos” durante o seu mandato.

“Participei ontem [quarta-feira] numa reunião da comissão política do partido que apoiou a minha candidatura para fazer a entrega do meu cartão de militante, suspendendo a militância no partido Ação Democrática Independente (ADI)”, disse Vila Nova, numa mensagem divulgada esta quinta-feira na sua página oficial na rede social Facebook.

“Como sempre defendi durante a minha campanha, passo a ser o Presidente de todos os são-tomenses e estarei aqui para servir a todos”, salientou. Na mensagem, deixou ainda umas palavras de agradecimento ao partido liderado por Patrice Trovoada “pelo voto de confiança e pelo apoio incansável” durante a corrida à Presidência são-tomense.

Vila Nova foi deputado da ADI e ministro dos governos de Patrice Trovoada (2008, 2010-2012, 2014-2018), tendo ocupado pastas como Obras Públicas, Infraestruturas ou Ambiente.

Carlos Vila Nova foi eleito no domingo Presidente de São Tomé e Príncipe, à segunda volta, com 57,54%, com um total de 45.481 votos, indicam resultados provisórios divulgados pela Comissão Eleitoral Nacional na madrugada de segunda-feira. O seu adversário, Guilherme Posser da Costa, apoiado pelos partidos da chamada ‘nova maioria’, obteve 42,46% da votação, com um total de 33.557 votos.

(Observador)