IMG-LOGO
   

            

 

 

 

 

Agenda Chinesa no Enfrentamento à Mudança Climática

na véspera da COP26

A Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas de 2021 (COP26), a ser realizada daqui a uns dias, é uma reunião importante no campo da mudança climática e da governança ambiental mundial. Na ocasião, a China espera que a COP26 emita um forte sinal em defesa do multilateralismo e promoção da cooperação entre todas as partes, engajando a comunidade internacional no pleno cumprimento dos objetivos e princípios estabelecidos na Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC) e no Acordo de Paris.

É importante honrar os compromissos: sobretudo os países desenvolvidos devem assumir a liderança na redução substancial de emissões e cumprir os compromissos com ações concretas em termos de financiamento, tecnologia e capacitação. Todas as partes devem respeitar o mecanismo da “Contribuição Nacionalmente Determinada” e promover um ganho duplo tanto em resposta à mudança climática como em desenvolvimento socioeconómico sustentável.

Guiada pelo pensamento do presidente chinês Xi Jinping sobre a civilização ecológica, a China segue firmemente o caminho de desenvolvimento que prioriza o meio-ambiente e um crescimento verde e de baixo carbono. O país anunciou as metas de alcançar o pico de emissões de dióxido de carbono antes de 2030 e a neutralidade de carbono antes de 2060, demonstrando sua ambição nas ações climáticas. O governo chinês lançará planos de ação voltados às principais áreas e setores, assim como uma série de medidas de apoio, construindo todo o arcabouço institucional para honrar o compromisso. A China está a esforçar-se nas mudanças socioeconómicas de forma ampla, abrangente e profunda para esse fim.

Sendo ambos países em desenvolvimento, a China e São Tomé e Príncipe têm amplas interesses comuns nas questões da mudança climática. A delegação santomense à COP26, chefiada pelo Presidente Carlos Vila Nova, está no caminho a Glasgow, o que demonstra a importância e a esperança prestadas pela parte santomense. A parte chinesa está disposta a envidar os esforços, junto com colegas santomenses, para conseguir resultados positivos na COP26, contribuindo devidamente ao avanço da governança climática global.