Director: Octávio Soares - Contacto: 00239 9923140 - E-mail:jornaltropical05@hotmail.com / tropical05@hotmail.com - www.jornaltropical.st

 
 
Publicidades
 
 

Transferir STome_logo_cmyk.jpg (1075,9 KB)

PESTANA SÃO TOMÉ
OCEAN & SPA HOTE

Grupo Pestana em São Tomé garante a qualidade dos serviços aos seus clientes  

siga-nos no Facebook

https://www.facebook.com/SaoTomePestana

 

 

São Tomé/Eleições: Oposição recusa encontro com ADI, vencedor com maioria simples

  Lusa 06 Novembro de 2018  As formações políticas da oposição são-tomense que assinaram um acordo de incidência parlamentar para formar Governo, depois das eleições de 07 de outubro recusaram hoje participar num encontro proposto pela Ação Democrática Independente (ADI), no poder.

O encontro estrava programado para as 09:00 locais (menos uma hora em Lisboa) num hotel da capital são-tomense, e destinava-se a discutir um entendimento para uma eventual formação de um Governo de base alargada, defendida pela ADI, que venceu as eleições legislativas com maioria simples de 25 dos 55 assentos na Assembleia Nacional (parlamento).

Nestas eleições, o Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe - Partido Social Democrata (MLSTP-PSD), foi a segunda força política mais votada, com 23 assentos parlamentares, a coligação PCD-UDD-MDFM, com cinco, e o Movimento Caué, independente, elegeu dois deputados.

Cerca de uma hora e meia depois da hora prevista para o início do encontro, o porta-voz da ADI, Abnildo de Oliveira, comunicou aos jornalistas que os outros partidos não compareceram.

"A agenda de um encontro, o seu local, hora e formato deverão ser sempre previamente negociados e acordados e nunca impostos pela parte interessada", justificaram Cílcio Santos, que falava em conferência de imprensa pelo MLSTP-PSD e pela coligação PCD-UDD-MDFM.

A oposição garantiu que está "disponível ao diálogo e a discutir com quem quer que seja assuntos relativos a São Tomé e Príncipe, para a sua estabilidade política e o seu desenvolvimento".

A ADI convidou as duas formações políticas para encontros separados, estando um previsto para hoje com o MLSTP-PSD e outro para terça-feira com a coligação PCD-UDD-MDFM.

Patrice Trovoada, líder da ADI e primeiro-ministro cessante, justifica o encontro separado com o facto de estas duas formações políticas terem concorrido separadas às eleições de 07 de outubro.

"Cada um deles concorreu separado às eleições, com um programa diferente, com ideias diferentes e agendas diferentes", disse Patrice Trovoada, em declarações a emissora Voz d'América e retransmitida no domingo pela televisão publica de São Tomé (TVS).

"Como é do conhecimento público, a coligação PCD-UDD-MDFM tem um acordo de incidência parlamentar com o MLSTP-PSD que, aliás, fora entregue oficialmente ao Presidente da República", disse o representante dos partidos da oposição.

"Nesse contexto, decidimos agir sempre em conjunto, face a qualquer assunto que tenha como objetivo de solucionar a atual crise política e institucional criada pela ADI", acrescentou Cílcio Santos, acusando o partido no poder de "comportamento irresponsável e de desrespeito", querendo "impor o seu calendário como se estivesse a tratar com os seus militantes".

"Face a esta atitude arrogante e prepotente, decidimos não comparecer no encontro proposto pela ADI nos moldes e nas condições impostas por este partido", concluiu representante do MLSTP e da coligação PCD-UDD-MDFM.

A delegação da ADI às negociações com a oposição era composta por cinco membros, entre eles Abnildo de Oliveira, porta-voz do partido, Olinto Daio, ministro da Educação, Cultura, Ciência e Comunicação, e Domingos Boa Morte, secretário-geral da Assembleia Nacional (parlamento).

 

 

 

   
 

 

CERVEJEIRAROSEMA 

 

   

Transferir STome_logo_cmyk.jpg (1075,9 KB)

   

   
     

 

   
 
 
Jornal Tropical | Todo Direito reservado | Av. Marginal 12 de Julho | São Tomé e Príncipe | jornaltropical05@hotmail.com - 00239 9923140