IMG-LOGO
   

            

 

 

 

CRISE CLIMÁTICA AMEAÇA A SEGURANÇA ALIMENTAR PARA MULHERES E RAPARIGAS

 

 

SÃO TOMÉ - Mulheres e raparigas, especialmente nas comunidades rurais, enfrentam o impacto da crise climática que agrava as desigualdades pré-existentes, põe em risco a segurança alimentar e alimenta a instabilidade e a migração, alerta o Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas no Dia Internacional da Mulher. O Dia Internacional da Mulher este ano é dedicado à reflexão sobre a “Igualdade de género hoje para um amanhã sustentável”, reconhecendo o papel crucial de mulheres e raparigas em todo o mundo na adaptação e mitigação das mudanças climáticas.

Mulheres e raparigas muitas vezes não têm acesso adequado a informações sobre desastres, serviços financeiros e participação na tomada de decisões da comunidade e na alocação de recursos. Tais desigualdades minam a capacidade das mulheres de se preparar, lidar e recuperar de choques e estresses climáticos. “As mulheres desempenham um papel essencial na garantia da segurança alimentar e, no entanto, são as mais afetadas pelos choques climáticos e pela insegurança alimentar”, disse a diretora executiva assistente do PAM, Valerie Guarnieri. “Um futuro sustentável só é possível quando mulheres e raparigas têm o que precisam para se adaptar às mudanças climáticas.”

Com apoio do PAM, o Programa Nacional de Alimentação e Saúde Escolar (PNASE) fornece actualmente pratos quentes a crianças em idade escolar de todo o país, 52 por cento das quais raparigas. As refeições regulares nas cantinas das escolas têm contribuído para o aumento da frequência e permanência de raparigas nas escolas, ao assegurar que mais pais e mães permitam que suas filhas frequentem as escolas – como mecanismo de segurança alimentar e investimento na nutrição e educação das suas filhas.

Num ano em que as necessidades humanitárias são cada vez mais prementes e as agências das Nações Unidas enveredam todos os esforços para minimizar os impactos da crise, não deixar as mulheres e crianças vulneráveis para trás face às dura realidade da crise climática é a necessidade do momento.

 

#                           #                            #

 

O Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas é a maior organização humanitária do mundo, salvando vidas em emergências e usando a assistência alimentar para construir um caminho rumo à paz, estabilidade e prosperidade para pessoas que sofrem com os impactos de conflitos, desastres e das mudanças climáticas.

 Milton Machel, PAM/STP