Contacto -: +239  9923140 -jornaltropical05@hotmail.com

 

 

 

VII Congresso Internacional de Educação Ambiental dos países e Comunidades de Língua Portuguesa e Galiz

 

‍A cidade de Maputo irá acolher o VII Congresso Internacional de Educação Ambiental dos países e Comunidades de Língua Portuguesa e Galiza, que decorrerá entre 4 e 7 de julho de 2023.

 

A comissão organizadora, juntamente com todas as instituições e participantes de todos os grupos de trabalho, estão a coordenar este espaço para proporcionar um cruzamento de ideias e atividades do campo da Educação Ambiental dos países, regiões e comunidades falantes da língua portuguesa.

 

O evento terá como tema central de debate "A Educação Ambiental: a chave para a Sustentabilidade", agregando as diferentes preocupações e soluções de futuro dentro da lusofonia nos diferentes eixos temáticos a serem discutidos no Congresso de Maputo, dando seguimento ao trabalho desenvolvidos nos congressos anteriores.

‍Eixos temáticos

 Eixo 1 - Educação Ambiental nas Políticas de desenvolvimento humano

Com a advento da proposição da ONU, sobre os objetivos do desenvolvimento sustentável, cresce cada vez mais a necessidade de se pautar a educação ambiental nas proposições de desenvolvimento, concordando ou não com as proposições do milênio. É emergente pautar uma Educação Ambiental com cuidado ético, justiça e equidade que consigam diminuir o abismo social e aumentar a proteção ecológica. Eixo 2 - Educação Ambiental e Cidadania: na escola e na sociedade

Entre estudos de formação e do cotidiano de aprendizagem, a escola também é local de construção da cidadania, tanto em seu âmbito interno como na sociedade global. Neste contexto, a Educação Ambiental escolarizada, comunitária, empresarial, difusa ou popular, tem a responsabilidade de contribuir com a formação da cidadania.

Eixo 3 - Educação Ambiental, o Antropoceno e o enfrentamento à Crise Climática

Das predições alarmantes dos cientistas ao negacionismo que cresce a cada dia, será necessário um apelo emergente e eloquente para “mudar o sistema e não o clima”, por meio de intensos processos de formação, divulgação, pesquisas, estudos e meios de prevenção e enfrentamento contra as consequências dramáticas da queima global. É de igual responsabilidade considerar que mesmo frente ao caos, a Educação Ambiental possa permitir o nosso esperançar pela vida digna.

Eixo 4 - Educação Ambiental e Diversidades: Natureza e Cultura

A Educação Ambiental é política e requer os princípios de justiça, ética, coletivo e inclusão das diversidades e das diferentes identidades de grupos sociais diversos; de todas as raças, grupos étnicos, comunidades tradicionais, ou povos da floresta, em especial aqueles grupos em situação de vulnerabilidade. Mas ultrapassando um contexto antropocêntrico, este eixo quer implicar a biodiversidade e os ambientes naturais. Queremos debater uma Educação Ambiental que expresse a importância de vidas e não vidas; de humanos e não humanos; e da possibilidade da coexistência frente aos desafios das violações de Direitos Humanos e da Terra.

J.Tropical