Contacto -: +239  9923140 -jornaltropical05@hotmail.com

 

 

Karen Acioly – quatro décadas estimulando o pensamento criativo e o afeto das crianças

A artista, que trabalha com multilinguagens, lança o seu 19º livro: A Dramaturgia da Ópera para Crianças – Cultura e Simbolismos

O mais novo livro da multiartista Karen Acioly chega às livrarias:A Dramaturgia da Ópera para Crianças – Cultura e Simbolismos. Com 40 anos de carreira, a autora apresenta sua 19ª obra ampliando ainda mais o espaço da literatura infantojuvenil. São 144 páginas, com 24 imagens de óperas infantis escritas e dirigidas por Karen. E no dia 1º de dezembro, haverá uma noite de autógrafos e bate-papo com Marcelo De Carvalho e Lívia Jacob, no Janela, no Jardim Botânico.

“Nestes dois anos e meio de pesquisa e imersão sobre a ópera para crianças descobri que havia um mar de dúvidas sobre o que é, afinal, a ópera para crianças.Maestros, compositores, cantores, encenadores, artistas, musicólogos discordavam entre si. Pareciam dominar as “regras” da ópera tradicional, porém tais regras não levavam em conta o universo ainda bem misterioso: a criança e seu imaginário.Esse livro é, para mim, a pedra de toque para desvendar esse mistério pleno de potência, símbolos, histórias, sonhos, afetos e sensações. Matérias - primas fundamentais para entender a importância da narrativa das crianças na ópera a elas dedicada” – afirma Karen Acioly.

A pré-venda já está disponível através deste link:

https://editoramultifoco.com.br/loja/product/pre-venda-a-dramaturgia-da-opera-para-criancas-cultura-e-simbolismos/

Sobre Karen Acioly

Ela poderia ser mais uma na multidão. Mas escolheu trilhar pelos caminhos dacriação, nas mais diversas linguagens artísticas.Seus trabalhos são diferenciados e com conteúdo não só para os pequenos, mas também para os adultos que desejam enxergar aquilo que está visível aos olhos do cotidiano.

Ela é multiartista: autora, roteirista, dramaturga, diretora, curadora, professora e teatróloga brasileira. Com extensa bagagem artística-cultural, Karen Acioly acumula prêmios e elogios.  Carrega consigo a expertise de quem já escreveu e dirigiu mais de 30 peças infanto-juvenis e publicou -até o momento- 17 livros para os novos públicos. Recebeu diversos prêmios tanto na Literatura, como no teatro: Prêmio Melhor Livro de Teatro pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (PNLD) por seus livros Tuhu, o menino Villa Lobos (2008), Os Meus Balōes (2010), Viva o Zé Pereira (2012) e o Prêmio HorsConcours pelo livro A Excêntrica Família Silva (2014). Seus livros Cabelos Arrepiados e Fedegunda receberam o Selo Altamente Recomendável (FNLIJ), sendo este último adotado pelas Escolas Públicas brasileiras pelo Programa PNLD Literário. No teatro recebeu prêmios como Shell, Mambembe, Coca-Cola, Sharp eZilkaSalaberry.

 

Antes de tudo, foi atriz e participou de grupos de teatro tais quais o Navegando, de Lúcia Coelho, Manhas e Manias e Asdrúbal Trouxe o Trombone. De lá seguiu para a TV Globo, TV Manchete, e, ao lado do tempo, ,é referência nas artes do país, principalmente quando o assunto é conteúdo inovadorpara crianças e adolescentes. Com contribuição primordial para o segmento infantojuvenil, a autora de livros, séries e espetáculos teatrais premiados, Karen Acioly,é especialista na Cultura da (e para a) Infância.Tem atuação destacada na criação de programas e projetos multidisciplinares para novos públicos (novas plateias). 

 

É referência na literatura, no teatro musical e na ópera para crianças e jovens (destacam-se "Fedegunda", "Bagunça, a ópera baby", "Experiência Yellow" e "Tuhu, o menino Villa-Lobos"). Sem falar na trajetória como diretora do Centro de Referência Cultura Infânciaque funcionou durante 14 anos no Teatro do Jockey (fechou em 2014).  

 

Criou seu filho mais ilustre na seara artística: o FIL (Festival Internacional Intercâmbio de Linguagens), que fez 19 anos em 2022 e trouxe um universo de criadores e criações para uma edição especial: A Experiência da Literatura. Importante ressaltar seu trabalho como membro e fundadora do Grupo Nacional Cultura Infância que visa implementar uma Política pública​ de Estado​ para a Cultura Infância.- foram 12 espetáculos presenciais, com direito à abertura xamânica, uma ópera instalação, uma exposição, 17 lançamentos de livros, 10 bate-papos com autores e ilustradores da literatura infantil e juvenil, além do Seminários Fil - Encontros Notáveis com nomes da literatura infanto-juvenil.

É fundadora da Borogodó Empreendimentos Culturais e desde 1995 realiza suas produções criativas independentes.

Novos tempos

Karen enfrentou a pandemia de forma corajosa, não parou de trabalhar ede estudar. O fruto desta inquietação artística rendeu a ideia de montar a ópera-instalação “Bem no Meio”.

A ópera- instalação foi conhecida, pela primeira vez, no Centro Cultural do Banco do Brasil, dentro da programação do FIL Festival, neste ano patrocinado pela Petrobras.Criada para ser uma experiência contemplativa (como um cinema de várias telas, sem a presença de atores)a montagem joga uma lupa sobre os sentimentos infantis pouco atentos aos ouvidos adultos. A ideia surgiu após dois anos de pesquisa narrativa em que Karen teve uma escuta atenciosa entre diversas crianças de 4 a 12 anos, de diferentes escolas, sobre temas delicados de seus cotidianos dentro do FIL(Festival Internacional Intercâmbio de Linguagensem 2018 e 2020) – produzido de modo virtual. A pesquisa faz parte da dissertação do Mestrado em Educação “A dramaturgia da ópera para crianças – cultura e simbolismos” (UFF/2022) e está sendo desenvolvida no corpus do Doutorado“A Dramaturgia pontilhada: Cultura, Imaginário e Educação”, na mesma instituição, ambos inspirados nas obras dos filósofos Gaston Bachelard, Joseph Campbell e Gilbert Durand, autores que estudam o imaginárioe os mitos. 

 Por Joacle Costa