Director: Octávio Soares - Contacto: 00239 9923140 - E-mail: tropical05@hotmail.com - www.jornaltropical.st

 
 
Publicidades
Afriland First BanK- O Banco de confiança

Programa de Apoio Participativo à Agricultura Familiar e Pesca Artesanal (PAPAFPA)
 
Transferir STome_logo_cmyk.jpg (1075,9 KB)

siga-nos no Facebook

 https://www.facebook.com/SaoTomePestana

 


COOPERATIVA DE EXPORTAÇÃO DE PIMENTA E BAUNILHA (CEPIBA)
TERMO DE REFERENCIA PARA DIRECTOR EXECUTIVO
I-INTRODUÇÃO


A CEPIBA tem como um dos principais objectivos a melhoria das condições de vida de cada um dos seus associados, através do aumento da produção e da rentabilização das parcelas de pimenta e respectiva comercialização.


Constituída em 2007, tem vindo a receber apoios do PAPAFPA através da Fileira Pimenta/Especiarias biológica, com vista a sua autonomia técnica , ecónomica e financeira. Embora, a CEPIBA ainda não tenha atingido seu ponto de equilíbrio, esse apoio resultou num aumento progressivo de parcelas replantadas e melhoria das técnicas agrónómicas.


Para fazer chegar o apoio, a Fileira teve como responsável a figura do chefe da fileira cujo papel estratégico no desenrolar de todo o processo, foi fundamental. A figura Chefe de Fileira deixará de existir a partir de Dezembro 2014 com o término do PAPAFPA.

 Considerando os desafios futuros, a CEPIBA fez aprovar o seu Regulamento interno que comtempla um Director Executivo, que deverá coordenar a equipa técnica e a equipa administrativa da Cooperativa e responderá directamente à instância de direcção definida nos Estatutos e no Regulamento Interno da Cooperativa.


O Ministério de Agricultura e Desenvolvimento Rural recebeu do FIDA um apoio financeiro (Acordo de Dom nº 2000000840) para a execução do PAPAC que prevê nomeadamente apoiar a CEPIBA. Uma parte desse apoio será utilizada para permitir à Cooperativa de se dotar de um Director Executivo.


Nessa esteira e com o financiamento do PAPAC pretende-se recrutar serviços de um técnico com qualificação técnica ou universitária de preferência em gestão de empresas, em organização ou uma experiência equivalente na gestão operacional de empresas (sector rural nomeadamente).


II. OBJECTIVO
Dotar a cooperativa de um técnico capaz de organizar, coordenar, controlar a equipa técnica e a equipa administrativa, permitindo uma gestão eficaz e eficiente da cooperativa.


III – PERIODO DE EXECUÇÃO
- Período experimental de um ano, renovável automaticamente (por igual período) segundo interesse da cooperativa e da performance observada durante o contrato anterior.


IV – ATRIBUIÇÕES / TAREFAS
- Organizar, coordenar, controlar todas as atividades de natureza técnica, administrativa e financeira da Cooperativa;
- Elaborar e actualizar o Plano de negócios da Cooperativa em concertação com os órgãos directivos da cooperativa;
- Negociar os acordos de parceria e os contratos em nome da cooperativa e firmar os mesmos após a prévia aprovação dos órgãos directivos da cooperativa;
- Preparar os planos de trabalho e orçamentos anuais da cooperativa submetê-los às instâncias da cooperativa e executá-los; - Organizar e orientar os trabalhos de certificações ( Biológico, Mercado Justo , IGP e outras);
- Organizar os fluxos/informações físicas e seu seguimento;
- Elaborar os relatórios destinados aos órgãos da cooperativa e aos seus parceiros;
- Coordenar e supervisionar os diferentes responsáveis de cada departamento da cooperativa.


V – QUALIFICAÇÕES E PERFIL REQUERIDOS
 Possuir uma qualificação técnica ou universitária, com experiência em gestão operacional de empresas no sector rural e ou da indústria agricola ou alimentar;
 Possuir uma experiência de pelo menos 5 anos no domínio;
 Capacidade de trabalho em equipa de organização e de comunicação;
 Domínio de informática na óptica de utilizador;
 Capacidade de mobilização de forma participativa para trabalho de grupo;

 Capacidade de mando num ambiente democrático;

  Capacidade de delegação de poder num ambiente de transparência ;

 Possuir experiencia de trabalhos com organismos internacionais – constitui preferência embora não seja indispnsável;


VI – COMPETÊNCIA LINGUÍSTICA
1. Bom domínio do português falado e escrito;
2. Bom domínio falado dos dialectos e crioulos utilizados nas comunidades rurais;
3. Bom domínio do francês e/ou inglês falado e escrito – o conhecimento das duas línguas constitui factor preferêncial.
VII – DOCUMENTOS A SEREM APRESENTADOS


1. Curriculum Vitae e carta de motivação;
2. Cópia autenticada de diplomas, certificados e outros documentos comprovativos da sua
qualificação;
3. Certificado de registo criminal;
4. Fotocópia do Bilhete de Identidade válido;
5. Cópia autenticada de carta de condução de motociclo e de ligeiro profissional;
6. Atestado médico de robustez física;
7. Uma prova de identificação legalmente válida (cópia do BI, cartão de residência para estrangeiros...);
8. Outros documentos que o requerente queira fornecer.


VIII – INTEGRAÇÃO DO CANDIDATO
A integração do candidato seleccionado será feita à partir do arranque do PAPAC.
IX – PREFERÊNCIAS DE IDADES
Pretende-se candidatos com idade superior a 30 anos.

 

 
 
 
 

 

CERVEJEIRA ROSEMA 

 

   

Transferir STome_logo_cmyk.jpg (1075,9 KB)

   

   
Câmara Distrital de Água Grande    

LUMEN  CRISTO Limitada 

 
 
 
Jornal Tropical | Todo Direito reservado | Av. Marginal 12 de Julho | São Tomé e Príncipe | jornaltropical05@hotmail.com - 00239 9923140